SITUAÇÕES DE VULNERABILIDADE E PRÁTICAS ALIMENTARES DE CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS INTERNADAS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE PORTO ALEGRE

Code: 210805712
Downloads
7
Views
85
Compartilhe
Título

SITUAÇÕES DE VULNERABILIDADE E PRÁTICAS ALIMENTARES DE CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS INTERNADAS EM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE PORTO ALEGRE

Autores(as):
  • Juliana Mariante Giesta

  • Juliane Alves Santos

  • Ester Zoche

  • Karen Yurika Kudo

  • Marianna Sperb

  • Vera Lucia Bosa

DOI
  • DOI
  • 10.37885/210805712
    Publicado em

    31/08/2021

    Páginas

    285-298

    Capítulo

    22

    Resumo

    Objetivo: Identificar as situações de vulnerabilidade social, individual e programática, bem como seus indicadores, e relacionar com práticas alimentares de crianças menores de dois anos internadas em um hospital universitário de Porto Alegre. Métodos: Identificou-se as vulnerabilidades por instrumento que estabelece critérios para a elegibilidade das vulnerabilidades individual, social e programática no contexto da criança e sua família; e práticas alimentares por instrumento composto por questões que analisam os atributos, componentes e marcadores da alimentação complementar. Para análise estatística, foi utilizado o teste qui-quadrado e foram considerados como diferenças estatisticamente significativas valores de p menores que 0,05. Resultados: Dentro da amostra estudada, 92% (n=173) apresentou pelo menos um componente de vulnerabilidade. Houve associação estatisticamente significativa entre vulnerabilidade programática e oportunidade de introdução da alimentação complementar (p=0,014) e consumo de ultraprocessados (p=0,007). Dentre os indicadores de vulnerabilidade, o número de internações esteve associado negativamente com o aleitamento materno exclusivo (p=0,03) e positivamente com o consumo de alimentos ultraprocessados (p=0,009). As idas à emergência estiveram associadas com a introdução precoce de alimentos (p=0,004) e consumo de alimentos ultraprocessados (p<0,001). Uso de tabaco ou outras drogas foi associado negativamente com o aleitamento materno (p=0,007). Conclusão: A população estudada neste trabalho é vulnerável principalmente no âmbito familiar, e apresenta práticas alimentares inadequadas, sendo essencial o acesso à rede de serviços de saúde com profissionais preparados para atuar visando alcançar melhores práticas de alimentação e nutrição nessa faixa etária.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Vulnerabilidade em saúde; Aleitamento materno; Alimentação complementar.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar