FREQUÊNCIA DE PARASITOSES COM POTENCIAL ZOONÓTICO EM CÃES E GATOS NATURALMENTE INFECTADOS NA CIDADE DE MARINGÁ-PR

Code: 221010398
Downloads
33
Views
54
Compartilhe
Título

FREQUÊNCIA DE PARASITOSES COM POTENCIAL ZOONÓTICO EM CÃES E GATOS NATURALMENTE INFECTADOS NA CIDADE DE MARINGÁ-PR

Autores(as):
  • Maria Clara Silva Bergamo

  • Izabela Aparecida Caetano Alves

  • Mariane Pinheiro Martins

  • José Gabriel Gonçalves Lins

  • Patrícia Marques Munhoz

  • Ana Cláudia Alexandreq Albuquerque

DOI
  • DOI
  • 10.37885/221010398
    Publicado em

    01/11/2022

    Páginas

    236-249

    Capítulo

    15

    Resumo

    Objetivo: Determinar a frequência de parasitas gastrointestinais de potencial zoonótico que acometem cães e gatos da cidade de Maringá, Paraná, além de realizar a comparação entre os principais métodos parasitológicos de fezes frequentemente utilizados em pequenos animais. Métodos: Foram coletadas e identificadas amostras de fezes de cães e gatos provenientes de Organizações Não Governamentais e Clínicas Veterinárias, as quais foram analisadas em relação a presença de ovos ou oocisto de parasitas gastrintestinais por meio das técnicas de Willis, Hoffman e Faust. Também foram coletados dados individuais sobre os animais para determinação de possível correlação das suas características intrínsecas e ambiente em que vivem com o parasitismo. Resultados: Independentemente do tipo de técnica utilizada, nas amostras de fezes analisadas foram identificados ovos de Ancylostoma spp., Toxocara spp., Trichuris spp., Taenia spp. e oocistos de Cystisospora spp.. 48,57% (17/35) das amostras de fezes caninas coletadas e 15,78% (3/19) das amostras de fezes felinas foram positivas no teste de Faust, sendo identificados os cinco gêneros supracitados de ovos e oocistos. 34,28% (12/35) das amostras de fezes caninas e 21,05% (4/19) das amostras de fezes felinas mostraram-se positivas para parasitos de quatro espécies diferentes pelo teste de Willis. Já com relação ao teste de Hoffman, 37,14% (13/35) das amostras de fezes caninas mostraram-se positivas, diferente das amostras de fezes felinas, em que todas foram negativas para ovos ou oocistos. O teste de Faust apresentou maior sensibilidade nas amostras fecais caninas e o teste de Willis para as amostras felinas. As condições domiciliares e o contato com mais de dez animais influenciaram diretamente na positividade para esses parasitas. Conclusão: Toxocara spp. e Ancylostoma spp. foram os gêneros mais prevalentes nos animais domiciliados em Maringá-PR, principalmente em cães provenientes de ONGs e o contato com vários animais associado as condições sanitárias influenciariam diretamente na diversidade e positividade para parasitas gastrintestinais.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Parasitismo, Saúde única, Animais de companhia, Zoonose.

    Publicado no livro

    OPEN SCIENCE RESEARCH VI

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar