EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AERÓBICO NA PRESSÃO ARTERIAL DE PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA EM HEMODIÁLISE

Code: 220910032
Downloads
18
Views
63
Compartilhe
Título

EFEITOS DO EXERCÍCIO FÍSICO AERÓBICO NA PRESSÃO ARTERIAL DE PACIENTES COM DOENÇA RENAL CRÔNICA EM HEMODIÁLISE

Autores(as):
  • France Willian Ávila Do Nascimento

  • Francisco Naildo Cardoso Leitão

  • Maura Bianca Barbary De Deus

  • Rubens Santana De Almeida Neto

  • Rafaela Ester Galisteu Da Silva

  • Rejane Rosas Barbary De Deus

  • Marcos Cordeiro Araripe

  • Renaldo Moreno

  • Ocilma Barros De Quental

  • Mauro José De Deus Morais

DOI
  • DOI
  • 10.37885/220910032
    Publicado em

    01/11/2022

    Páginas

    551-560

    Capítulo

    38

    Resumo

    A doença renal crônica se caracteriza pela perda gradual dos rins em exercerem sua função básica da capacidade de manutenção da homeostase como regular as funções vitais do organismo, afetando no equilíbrio hídrico, acidobásico e eletrolítico, além de participar em funções hormonais e na regulação da pressão arterial (PA). O exercício físico praticado com regularidade torna-se uma ferramenta eficiente para a manutenção da saúde na população em geral. Objetivo: avaliar os efeitos do exercício aeróbico no controle da pressão arterial de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Método: Trata-se de um estudo descritivo de caráter quantitativo, realizado no Hospital das Clínicas no município de Rio Branco - Acre, em 27 pacientes com doença renal crônica de ambos os sexos, idade superior a 18 anos, que realizavam o tratamento de hemodiálise há seis meses. Após 1 hora de hemodiálise os pacientes iniciavam o exercício aeróbico utilizando cicloergômetro eletromagnético horizontal acoplado na maca. A pressão arterial foi aferida no repouso e a cada 5 minutos até o término do exercício. Os pacientes realizaram três sessões semanais de exercício no período de 12 semanas. Resultados: como principais resultados uma redução de 6,79 mmHg na pressão sistólica e 4,14 mmHg na pressão diastólica. O grupo do turno de 6 horas reduziu 9,75 mmHg na pressão sistólica e 4,85 mmHg na pressão diastólica, já o grupo das 11 horas reduziu 4,74 mmHg na pressão sistólica e 2,73 mmHg na pressão diastólica. Conclusão: que exercício físico aeróbico em cicloergômetro realizado por 30 minutos nas duas primeiras horas de hemodiálise contribuiu no controle da pressão arterial de todos os pacientes, e em relação aos turnos houve diferença entre os pacientes que realizaram o exercício ás 6 horas e ás 11 horas.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Hemodiálise, Pressão arterial, Doença renal crônica, Exercício aeróbico.

    Publicado no livro

    OPEN SCIENCE RESEARCH VI

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar