DEPENDÊNCIA DAS PROPRIEDADES DE FLUXO E DA ESTABILIDADE À OXIDAÇÃO COM O GRAU DE INSATURAÇÃO DO BIODIESEL OBTIDO DE MISTURAS DOS ÓLEOS DE DENDÊ E SOJA

Code: 221211252
Downloads
8
Views
78
Compartilhe
Título

DEPENDÊNCIA DAS PROPRIEDADES DE FLUXO E DA ESTABILIDADE À OXIDAÇÃO COM O GRAU DE INSATURAÇÃO DO BIODIESEL OBTIDO DE MISTURAS DOS ÓLEOS DE DENDÊ E SOJA

Autores(as):
  • Renato Dantas Luz Peixoto

  • Luiz Felipe Oliveira De Moura

  • Amanda Beatriz Pinheiro De Sousa

  • Mariana Vitor Duarte Dos Santos

  • Victor Moura Botelho Medeiros

  • Tatiana De Campos Bicudo

DOI
  • DOI
  • 10.37885/221211252
    Publicado em

    29/12/2022

    Páginas

    644-654

    Capítulo

    45

    Resumo

    Embora competitivo com o óleo diesel sob diversos aspectos, o biodiesel apresenta alguns entraves técnicos referentes às propriedades de fluxo a frio e à estabilidade à oxidação. As características estruturais dos ésteres graxos que compõem o biodiesel, tais como comprimento de cadeia carbônica e grau de saturação, contribuem para as propriedades globais do biocombustível. Espécies saturadas presentes no biodiesel contribuem para elevar a estabilidade do mesmo. No entanto, elas não apresentam boas propriedades de fluxo, restringindo a utilização do combustível em condições de baixa temperatura. Por sua vez, ésteres graxos insaturados contribuem favoravelmente para as propriedades de fluxo, mas não apresentam boa estabilidade termo oxidativa. Dessa forma, é evidente a necessidade de haver uma proporção de equilíbrio entre os componentes saturados e insaturados, de maneira a obter um biocombustível que atenda às normas de qualidade vigentes. Nesse contexto, apresenta-se um estudo sobre a influência da composição química dos óleos de soja e dendê sobre o biodiesel obtido desses óleos e de misturas dos mesmos. As propriedades dos biodieseis aqui avaliadas foram viscosidade cinemática, ponto de entupimento de filtro a frio (PEFF) e estabilidade à oxidação. Os dados revelaram que a utilização de misturas de óleos, definidas em função dos seus perfis de ácidos graxos, resultou em uma melhora considerável da estabilidade oxidativa do biodiesel de soja e da fluidez do biodiesel de dendê, mostrando que a mistura previamente definida de diferentes oleaginosas pode ser uma ferramenta poderosa para a produção de biodiesel de qualidade e a eventual eliminação do uso de aditivos.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Biodiesel, Viscosidade cinemática, Fluxo a frio, Estabilidade oxidativa.

    Publicado no livro

    OPEN SCIENCE RESEARCH IX

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar