VIOLÊNCIA AUTOPROVOCADA EM MULHERES: REFLEXÕES SOBRE UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA A PARTIR DE PESQUISA REALIZADA EM NOVO HAMBURGO

Code: 230713679
Downloads
8
Views
11
Compartilhe
Título

VIOLÊNCIA AUTOPROVOCADA EM MULHERES: REFLEXÕES SOBRE UM PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA A PARTIR DE PESQUISA REALIZADA EM NOVO HAMBURGO

Autores(as):
  • Marina Elis Cavalli

  • Bruna Hentges

  • Letícia Hamester

  • Luciana Barcellos Teixeira

DOI
  • DOI
  • 10.37885/230713679
    Publicado em

    30/08/2023

    Páginas

    130-140

    Capítulo

    10

    Resumo

    Introdução: A violência autoprovocada é definida como aquela que uma pessoa inflige intencionalmente a si mesma. Apesar de as taxas de suicídio serem maiores em homens, estudos indicam que mulheres possuem mais tentativas de suícidio. Objetivo: Descrever o perfil sociodemográfico e da violência das mulheres vítimas de violência autoprovocada do município de Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul. Método: Trata-se de um estudo descritivo, com dados secundários provenientes das Fichas de Notificação Individual de Violência Interpessoal/Autoprovocada que constam na base de dados do VIVA/SINAN. Todas as violências autoprovocadas que ocorreram entre 2015 e 2020 foram analisadas. Resultados: Foram notificados 212 casos de violência autoprovocada em mulheres no período analisado. As vítimas de violência autoprovocada eram maioria casadas, brancas, com baixa escolaridade, heterossexuais e cisgêneros. Em relação à violência, predominou-se a residência como local de ocorrência, a prática recorrente, e o principal meio utilizado foi o uso de substância. A subnotificação de alguns itens das fichas de notificação foi observada neste estudo. Conclusão: A recorrência da violência autoprovocada demonstra a dificuldade de um cuidado longitudinal com as mulheres que chegam ao serviço de saúde. A incompletude dos dados também pode estar invisibilizando a violência racial e a violência a população LGBTQIA+.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Violência, violência autoprovocada, gênero, mulheres, Vigilância Epidemiológica.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar