UTILIZAÇÃO DE BACTÉRIAS NO CONTROLE DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

Code: 210404307
Downloads
35
Views
23
Compartilhe
Título

UTILIZAÇÃO DE BACTÉRIAS NO CONTROLE DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS DE IMPORTÂNCIA ECONÔMICA

Autores(as):
  • Ingrid Reis Silva

  • Ivanete Ferreira de Souza

  • Rosangela Santana Martins de Matos

DOI
  • DOI
  • 10.37885/210404307
    Publicado em

    01/06/2021

    Páginas

    199-205

    Capítulo

    16

    Resumo

    A utilização de microrganismos para fins de controle biológico tem sido amplamente estudada. Neste contexto, o uso de bactérias como agentes antagônicos contra fitopatógenos tem se mostrado potencialmente útil em substituição aos defensivos químicos, sendo apontado como alternativa viável para os sistemas de produção agrícola. Fitopatógenos do gênero Colletotrichum são frequentemente relacionados a antracnoses em diversas culturas como o abacate, cacau, cupuaçu e, etc. O gênero Fusarium tem sido reportado como agente causal de diferentes fitopatologias em mais de cinquenta plantas tropicais e subtropicais, principalmente o guaranazeiro (Paullinia cupana). Desse modo, este trabalho buscou investigar o potencial de 28 bactérias, entre endofíticas e de solo, em controlar in vitro os fungos fitopatogênicos: Colletotrichum gloeosporioides, Fusarium decemcellulare e Sclerotinea sclerotiorum. As bactérias foram avaliadas pelo método de cultivo pareado com os fitopatógenos, utilizando como parâmetros: a formação de halo de inibição exercido pelo fitopatógeno, o tamanho da colônia do patógeno e a porcentagem de inibição do crescimento micelial do patógeno. Com relação ao teste de antagonismo pelo método de cultivo pareado, 13 bactérias inibiram o crescimento in vitro de Fusarium decemcellulare, 11 inibiram Colletotrichum gloeosporioides. Dessas, 10 bactérias inibiram dois dos três fitopatógenos avaliados. As bactérias com maior potencial para inibição foram: CBA 1855 (com 46% e 39 % de inibição frente à Fusarium decemcellulare e Colletotrichum gloeosporioides, respectivamente) e CBA 1853 (com 40% e 39 % de inibição frente à Colletotrichum gloeosporioides e Fusarium decemcellulare, respectivamente). Nenhuma bactéria teve potencial para inibir Sclerotinea sclerotiorum. Estudos futuros serão realizados para testar a capacidade destes microrganismos na proteção in vivo da planta.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Antagonismo; Bactérias; Fitopatógenos.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar