TERMOGRAFIA INFRAVERMELHO APLICADA EM ESPÉCIES MADEIREIRAS NATIVAS AMAZÔNICAS PARA AVALIAÇÃO DE PROPRIEDADES BIOFÍSICAS

Code: 211106825
Downloads
13
Views
15
Compartilhe
Título

TERMOGRAFIA INFRAVERMELHO APLICADA EM ESPÉCIES MADEIREIRAS NATIVAS AMAZÔNICAS PARA AVALIAÇÃO DE PROPRIEDADES BIOFÍSICAS

Autores(as):
  • Cezar Dias Cardoso Júnior

  • Diego Lima Aguiar

  • Alessandra Silva Batista

  • Bruno Monteiro Balboni

  • Lucieta Guerreiro Martorano

DOI
  • DOI
  • 10.37885/211106825
    Publicado em

    28/12/2021

    Páginas

    117-130

    Capítulo

    7

    Resumo

    Objetivo: avaliar respostas termográficas de espécies florestais amazônicas para identificar propriedades biofísicas capazes de subsidiar a tomada de decisão quanto ao uso de produtos madeireiros. A coleta de madeiras ocorreu na FLONA Tapajós, sendo três espécies: breu (Protium apiculatuum Swart.), cedro (Cedrella fissilis Vell.) e maçaranduba (Manilkara huberi (Ducke) A.Chev.), nas dimensões 5 x 2,5 x 15cm (radial x tangencial x axial). As imagens foram obtidas com câmera termográfica infravermelho (FLIR), no horário de maior intensidade solar. A densidade aparente da madeira foi obtida pelo método da imersão em água ocasionando o empuxo dado pela balança semi-analítica. As análises das imagens ocorreram no software FLIR tools, a análise estatística não-paramétrica Kruskal-Wallis a 5% de significância e correlação de Spearman, realizadas no software R. Resultados: observou-se diferenças na densidade aparente entre as três espécies analisadas, sendo a maçaranduba com maior valor e cedro, o menor. Verificou-se, também, diferenças entre as três espécies em relação a absorção de energia térmica, onde maçaranduba obteve maiores valores e cedro, os menores. A correlação entre densidade aparente e termografia variou de 0.387 a 0.426, sendo uma correlação positiva entre ambas variáveis analisadas reforçando que o termógrafo infravermelho auxilia na identificação rápida e fornece resultados robustos quanto a capacidade das espécies em conduzir calor. Conclusão: a termografia proporcionou diferenciação entre as madeiras, sendo a maçaranduba a maior densidade e maior capacidade de armazenar energia em relação ao breu e cedro. Assim, estratégias quanto ao manejo florestal para reduzir impactos por propagação de incêndios podem ser tomadas.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Amazônia, Termógrafo, Densidade aparente, Correlação.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar