SÍNTESE E QUEBRA DE EMULSÃO ÓLEO EM ÁGUA(O/A) VIA AQUECIMENTO E ADITIVAÇÃO COM NONILFENOL POLIETOXILADO

Code: 201202419
Downloads
26
Views
55
Compartilhe
Título

SÍNTESE E QUEBRA DE EMULSÃO ÓLEO EM ÁGUA(O/A) VIA AQUECIMENTO E ADITIVAÇÃO COM NONILFENOL POLIETOXILADO

Autores(as):
  • Geraldine Angelica Silva Nóbrega

  • Heithor Syro Anacleto Almeida

  • Diego Angelo de Araújo Gomes

DOI
  • DOI
  • 10.37885/201202419
    Publicado em

    31/03/2021

    Páginas

    197-208

    Capítulo

    16

    Resumo

    Durante os processos de produção de petróleo em campos maduros grande quantidade de água é injetada para aumentar a pressão e realizar a remoção do óleo. Portanto, devido à turbulência durante o transporte de resíduos dos processos, são formadas emulsões de água e óleo. As emulsões geradas geram problemas tanto em dutos que transportam emulsões quanto na indústria, além da contaminação da água pelo despejo de resíduos da produção e do processo de extração do óleo. Visando não apenas evitar tais problemas é importante oferecer um destino adequada para os resíduos da produção, aproveitar o óleo existente nas emulsões, reaproveitar a grande quantidade de água utilizada no processo e evitar os danos gerados pela disposição dos resíduos no meio Ambiente. As emulsões óleo em água são naturais nos processos de extração de óleo, principalmente quando há o uso de injeção de água para recuperação do óleo. Essas emulsões podem causar corrosão em dutos de transporte e, se passarem para a refinaria, diminuem a qualidade de alguns produtos. Além dos danos causados ​​às indústrias, a concentração de óleo presente nos resíduos industriais é regulamentada pelo CONAMA, estabelecendo uma concentração média mensal de óleo de 29 mg/L nas águas residuais e máxima diária de 42 mg/L. A metodologia utilizada neste trabalho incluiu a síntese de emulsões O/A com teor de 10% (v/v) por agitação mecânica e como parâmetro de avaliação foi utilizado o frasco teste. Para o processo de separação por emulsão foram utilizados três tensoativos não iônicos em diversas concentrações juntamente com o uso de um banho termostático. Os resultados induzidos que o melhor da quebra de emulsão ocorreram para nonilfenol 1,8 OE com 50% de eficiência de separação de óleo, quando presente em principais elevados. Conclui-se que os tensoativos utilizados podem aumentar a quebra da emulsão com o aumento da concentração, mesmo para surfactantes acima dos valores de concentração de CMC, e o HLB (Hydrophilic-Lipophilic Balance) do surfactante utilizado pode ser utilizado como um fator importante para o processo de quebra.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Quebra de emulsão O/A, Tensoativo não iônico, Tratamento da água

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar