SÍNDROMES DE DISPERSÃO NO PERFIL DE UM ECÓTONO FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL/SEMIDECIDUAL NO SUDOESTE DE MINAS GERAIS

Code: 220207802
Downloads
3
Views
14
Compartilhe
Título

SÍNDROMES DE DISPERSÃO NO PERFIL DE UM ECÓTONO FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL/SEMIDECIDUAL NO SUDOESTE DE MINAS GERAIS

Autores(as):
  • Allanne Pillar Dias Gonzaga

  • Hisaias de Souza Almeida

  • Eduardo Van Den Berg

DOI
  • DOI
  • 10.37885/220207802
    Publicado em

    01/05/2022

    Páginas

    240-252

    Capítulo

    17

    Resumo

    Objetivo: Caracterizar as síndromes de dispersão distribuídas entre os estratos superior e inferior de uma área ecotonal entre Floresta Estacional Decidual e Floresta Estacional Semidecidual. Método: Foram alocadas 30 parcelas de 40m², onde foram amostrados todos os indivíduos com CAP maior ou igual a 10cm. As espécies foram classificadas de acordo com a morfologia de seus frutos em zoocóricas, anemocóricas e autocóricas. Foram realizados testes de Kruskal-Wallis para testar se há diferenças entre os estratos, bem como entre fisionomias. Além disso, foram feitos testes de similaridade entre as comunidades e estratos. Resultados: Em ambas as fitofisionomias foram amostradas 77 espécies. Destas, 43 eram zoocóricas (56%), 24 anemocóricas (31%) e apenas 10 eram a autocóricas (13%). O índice de similaridade de Jaccard mostrou menor similaridade entre os estratos superiores. Já o índice de similaridade de Bray – Curtis, apresentou valores inferiores a SB = 0,40 para todas as comparações, demonstrando heterogeneidade na relação número de indivíduos por espécie, entre os estratos e as fisionomias. O teste de Kruskal-Wallis apresentou diferenças significativas na abundância (H = 34,4955; p < 0,001; N = 478), e na composição de espécies (H = 30,5047; p < 0,001; N = 478), tanto nos diferentes setores (fisionomia-estrato), quanto nas síndromes de dispersão. Conclusão: Na fisionomia Decidual, o estrato superior é composto predominantemente por espécies e indivíduos com dispersão influenciada por fatores abióticos, enquanto o estrato inferior predomina dispersão zoocórica. Já na fisionomia semidecidual, tanto no estrato superior quanto inferior há o predomínio de espécies e indivíduos zoocóricos.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Guildas de dispersão, Estratificação vertical, Propágulos, Diversidade.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar