REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO HIV/AIDS PARA JOVENS QUE VIVEM COM A DOENÇA: UMA PERSPECTIVA TEMPORAL

Code: 210906225
26
27
Título

REPRESENTAÇÃO SOCIAL DO HIV/AIDS PARA JOVENS QUE VIVEM COM A DOENÇA: UMA PERSPECTIVA TEMPORAL

Autores(as):
  • Denize Cristina de Oliveira

    Oliveira, Denize Cristina de

  • Danielle Pinheiro Elias Silva

    Silva, Danielle Pinheiro Elias

  • Sergio Corrêa Marques

    Marques, Sergio Corrêa

  • Rodrigo Leite Hipólito

    Hipólito, Rodrigo Leite

  • Tadeu Leite da Costa

    Costa, Tadeu Leite da

  • Yndira Ita Machado

    Machado, Yndira Ita

  • Gabriela Porto Salles de Assis

    Assis, Gabriela Porto Salles de

  • Thelma Spindola

    Spindola, Thelma

  • Renata Lacerda Marques Stefaisk

    Stefaisk, Renata Lacerda Marques

  • Juliana Pereira Domingues

    Domingues, Juliana Pereira

DOI
10.37885/210906225
Publicado em

16/01/2022

Páginas

80-97

Capítulo

7

Resumo

Introdução: A infecção pelo HIV na população jovem reveste-se de importância por ser essa uma etapa de maior vulnerabilidade, marcada pelas características físicas, psicológicas e sociais próprias dessa etapa da vida. Entender os modos de pensar e agir sobre o HIV/aids nesse grupo permite compreender as configurações simbólicas da doença e seus impactos na vivência cotidiana dos jovens. Objetivo: analisar as representações sociais do HIV para jovens que vivem com a doença em uma perspectiva temporal. Métodos: pesquisa qualitativa, apoiada na Teoria das Representações Sociais, associada ao conceito de memória social, realizada com 24 participantes acompanhados em serviços de atendimento especializado do Estado do Rio de Janeiro. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas semiestruturadas, analisadas através do software Iramuteq. Resultados: a aids se constitui como representação que abarca dois grandes eixos estruturadores: um relativo à qualidade de vida dos jovens na sua vivência com o HIV/aids, ao mesmo tempo em que localiza o vírus e a doença no contexto das relações sociais e familiares, alem do cotidiano de vida do grupo. Um segundo eixo revela a construção de uma representação apoiada no apoio institucional e nas ações de cuidado associadas aos antiretrovirais. Conclusão: o HIV/aids se constitui como um objeto complexo de representação que sofre modulações do tempo, impactando as práticas de cuidado e de autocuidado.

Palavras-chave

HIV/aids, Jovens, Representações sociais, Temporalidade, Enfermagem.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.