RAÍZES DA VERGONHA: UM ESTUDO PSICOSSOCIOLÓGICO SOBRE A VIVÊNCIA DE TRECHEIROS

Code: 210202957
Downloads
7
Views
18
Compartilhe
Título

RAÍZES DA VERGONHA: UM ESTUDO PSICOSSOCIOLÓGICO SOBRE A VIVÊNCIA DE TRECHEIROS

Autores(as):
  • Lucas Martins Soldera

  • Francisco Hashimoto

DOI
  • DOI
  • 10.37885/210202957
    Publicado em

    01/04/2021

    Páginas

    201-224

    Capítulo

    14

    Resumo

    Este trabalho visou identificar a presença do sentimento da vergonha em “trecheiros” (nômades) no mundo contemporâneo e quais significados foram construídos na vida dessas pessoas. Efetuou-se tal compreensão a partir do questionamento sobre o sujeito, a sua história, sua relação com o grupo e com a sociedade. A pesquisa se fundamentou na abordagem psicossociológica e o material de estudo foi constituído por relatos de oitos “trecheiros” que fazem uso dos serviços do C.A.M. (Centro Atendimento ao Migrante) de Assis – SP. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas semi-dirigidas, com duração variável. A pesquisa possibilitou a compreensão das significações construídas pelos trecheiros a partir dos três aspectos que identificam esse contemporâneo: o registro do corpo, da ação e do sentimento. Por fim, foi encontrado o sentimento da vergonha relacionado a esses três aspectos marcando a relação de mal-estar entre vergonha e contemporâneo.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Vergonha, Psicossociologia, Contemporâneo, Nômades

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar