PREVALÊNCIA DE ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO E FATORES ASSOCIADOS: UMA REVISÃO NARRATIVA

Code: 230111745
22
0
Título

PREVALÊNCIA DE ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO E FATORES ASSOCIADOS: UMA REVISÃO NARRATIVA

Autores(as):
  • Isabela Petry

    Petry, Isabela

  • Jéssica Puchalski Trettim

    Trettim, Jéssica Puchalski

  • Bárbara Borges Rubin

    Rubin, Bárbara Borges

  • Carolina Coelho Scholl

    Scholl, Carolina Coelho

  • Victória Duquia da Silva

    da Silva, Victória Duquia

  • Henrique Ceron da Silveira

    da Silveira, Henrique Ceron

  • Luciana De Avila Quevedo

    Quevedo, Luciana de Avila

  • Janaína Vieira Dos Santos Motta

    Motta, Janaína Vieira dos Santos

  • Ricardo Tavares Pinheiro

    Pinheiro, Ricardo Tavares

  • Mariana Bonati de Matos

    de Matos, Mariana Bonati

DOI
10.37885/230111745
Publicado em

01/03/2023

Páginas

498-514

Capítulo

36

Publicado no livro

OPEN SCIENCE RESEARCH X

Resumo

Trata-se de uma revisão narrativa da literatura que teve como objetivo explorar os possíveis fatores associados à descontinuação do processo de Aleitamento Materno Exclusivo (AME), bem como a prevalência do mesmo, até seis meses de vida dos bebês. A busca de dados foi realizada na base de dados eletrônica PubMed, no mês de outubro de 2020, através de uma estratégia de busca que utilizou indexadores selecionados segundo os Descritores em Ciência da Saúde (DeCS/MeSH). Dos 14 artigos incluídos na presente revisão, foram identificados 18 fatores associados que corroboram com a descontinuação do processo de AME. Dentre estes, encontram-se características sociodemográficas e comportamentais da díade mãe-bebê, aspectos sobre o histórico gestacional e do parto, adversidades ao praticar o AME e a falta de informações relacionadas a este processo, além de crenças atreladas a cultura. O fator associado mais prevalente foi a atividade laboral materna. Seguido da baixa escolaridade da mulher, depressão pós-parto e menor número de consultas pré-natais realizadas. Ressalta-se a necessidade de um olhar cuidadoso sob a perspectiva multiprofissional, ofertando os cuidados necessários. A licença à maternidade e a amamentação durante os horários de trabalho devem ser continuamente estimuladas e respeitadas, já que por muitas vezes há tabus envolvidos. As orientações sobre o AME necessitam ser realizadas desde os primeiros contatos com a gestante, de uma forma didática, facilitando a compreensão das mulheres. Assim, corroborando com o possível aumento das taxas de AME, beneficiando a saúde da díade mãe-bebê.

Palavras-chave

Amamentação, Desmame, Fatores de risco, Associação, Saúde da mulher.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.