POTENCIAL DAS PRÁTICAS DOMÉSTICAS DE PROCESSAMENTO NA REDUÇÃO DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS

Code: 210805722
18
5
Título

POTENCIAL DAS PRÁTICAS DOMÉSTICAS DE PROCESSAMENTO NA REDUÇÃO DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS

Autores(as):
  • Rafaela Corrêa Pereira

    Pereira, Rafaela Corrêa

  • Michel Cardoso de Angelis-Pereira

    Angelis-Pereira, Michel Cardoso de

DOI
10.37885/210805722
Publicado em

01/10/2021

Páginas

299-315

Capítulo

21

Resumo

A ingestão de alimentos contaminados por resíduos de agrotóxicos é considerada rota primária de exposição para a maioria dos agrotóxicos pela população. É importante identificar se existem maneiras efetivas de amenização desses riscos a serem adotadas pelos consumidores no momento do preparo dos alimentos. Para os vegetais, a redução de resíduos de agrotóxicos pode ser conseguida por técnicas domésticas de processamento. Os principais mecanismos envolvidos são dependentes da natureza físico-química do agrotóxico, do alimento e das condições de processamento. A eficácia da lavagem com água depende, sobretudo, da solubilidade do agrotóxico sendo que os mais solúveis e não sistêmicos, como o boscalide, mais facilmente removidos do que aqueles insolúveis e sistêmicos, como os organofosforados. A lavagem com soluções ácidas, alcalinas, oxidantes e/ou salinas parece remover os agrotóxicos com maior eficácia do que com água, por induzirem reações químicas que desestabilizam sua molécula. O descascamento também demonstra ser prática eficiente para remoção física deles, principalmente os não sistêmicos. Nas práticas que envolvem calor, algumas substâncias são susceptíveis à degradação, formando metabólitos cujo potencial tóxico pode ser desconhecido. Há também a probabilidade de se concentrar os resíduos quando há redução da umidade e concentração de sólidos, como nos produtos derivados do tomate, ou fortalecer a adsorção do agrotóxico no tecido vegetal. Sabendo que mesmo a presença residual de agrotóxicos em alimentos pode oferecer risco ao consumidor já que, nem sempre esses procedimentos conseguem atingir limites seguros para exposição, as técnicas aqui discutidas jamais podem servir de justificativa para afrouxamento de medidas de combate ao uso e consumo deles.

Palavras-chave

Degradação de resíduos químicos, Solubilidade, Culinária.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.