O RANÇO DO CORONELISMO E O PODER DE TORNAR OS CORPOS DÓCEIS: A NATURALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NA CIDADE DE GOIÁS

Code: 220107126
13
0
Título

O RANÇO DO CORONELISMO E O PODER DE TORNAR OS CORPOS DÓCEIS: A NATURALIZAÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NA CIDADE DE GOIÁS

Autores(as):
  • Renata Renata Botelho Dutra

    Dutra, Renata Botelho

  • Margareth Pereira Arbués

    Arbués, Margareth Pereira

DOI
10.37885/220107126
Publicado em

16/02/2022

Páginas

2231-2248

Capítulo

176

Publicado no livro

OPEN SCIENCE RESEARCH I

Resumo

O presente artigo propõe-se a refletir a problemática da violência doméstica enquanto dimensão da violência estrutural que afeta a sociedade hodierna. O percurso metodológico deu-se com base em discussões resultantes de estudos revisionais, documentais e de reflexões, fruto de pesquisas quali/quantitativas acerca da violência doméstica realizadas pelo projeto de Extensão (2015/2017): “O Cravo e a Rosa” . Assim, metodologicamente, procurou-se analisar os fenômenos a partir do olhar dos coletados durante a execução do projeto. Nesse sentido, a arquitetura e o design textual procurou refletir a violência doméstica sob os vários olhares das ciências sociais, cujo tecido histórico abarca desde os tempos remotos à contemporaneidade. Trazendo como centralidade da problemática, o fenômeno do coronelismo, enquanto representação do poder simbólico de conteúdo patriarcal, que marcou uma época na história regional e do Brasil, cujo ranço ainda permanece perene nas relações de gênero, mantendo, naturalizada, a violência contra as mulheres na cidade de Goiás.

Palavras-chave

Violência doméstica, Violência simbólica, Relações de poder, Patriarcado, Misoginia.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.