MADEIRAS CONSTRUTIVAS NA ARQUITERURA COLONIAL (SÉC. XIX) DO PLANALTO NORTE DE SANTA CATARINA

Code: 220508896
7
8
Título

MADEIRAS CONSTRUTIVAS NA ARQUITERURA COLONIAL (SÉC. XIX) DO PLANALTO NORTE DE SANTA CATARINA

Autores(as):
  • João Carlos Melo Júnior

    Melo Júnior, JCF

  • Heloisa Fagundes Salvador

    Salvador, Heloísa

  • William Jorge Pscheidt

    Pscheidt, WJ

  • Jefferson Chagas

    Chagas, J

  • Luiz Eduardo Melo Lima

    Lima, LEM

  • Sidney Baldo Oliveira

    Oliveira, SB

  • Pedro Conte Júnior

    Conte Júnior, P

DOI
10.37885/220508896
Publicado em

01/07/2022

Páginas

153-173

Capítulo

10

Resumo

Objetivo: Este estudo objetivou identificar as madeiras usadas na construção de uma edificação histórica com técnica construtiva enxaimel, a qual apresenta reminiscências da ocupação não indígena no Planalto Norte de Santa Catarina, datada da década 1860, situada na localidade de Boa Vista, Rio Preto, Município de Rio Negrinho-SC. Métodos: Foram coletadas amostras de madeira de elementos construtivos da edificação com o uso de serrote japonês e formão. Os corpos de prova tiveram sua superfície transversal polida para a caracterização macroscópica do lenho com auxílio de lupa conta-fio e secções anatômicas montadas em preparações histológicas para análise microscópica. A determinação da espécie se deu por meio de anatomia comparada em coleção de referência da Xiloteca JOIw e consulta ao banco de dados Inside Wood. Resultados: Todas as amostras possuem coloração parda, odor distinto ao corte e apresentaram a mesma estrutura anatômica caracterizada por camada de crescimento distinta, porosidade difusa, vasos múltiplos radiais de 2-3 e solitários, médios, de 5 a 20 mm², obstruídos por tilos, parênquima axial apotraqueal difuso e paratraqueal escasso, raios distintos sob lente, elementos não estratificados. Conclusão: A espécie identificada foi Ocotea porosa (Lauraceae). Conhecida regionalmente como canela-imbuia, alcança até 30m de altura, sendo característica da floresta ombrófila mista montana, podendo ultrapassar 500 anos de idade. De interesse econômico, essa espécie apresenta forte relação com o processo de colonização do sul do país, sendo registrada em distintas edificações históricas de Santa Catarina.

Palavras-chave

Anatomia da madeira, Edificações históricas, Madeiras históricas, Patrimônio cultural, Patrimônio florestal.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.