LOG-VEROSSIMILHANÇA COMBINADA PARA COMPARAÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONTINUIDADE ESPACIAL EM FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL

Code: 211106796
Downloads
4
Views
25
Compartilhe
Título

LOG-VEROSSIMILHANÇA COMBINADA PARA COMPARAÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONTINUIDADE ESPACIAL EM FLORESTA ESTACIONAL DECIDUAL

Autores(as):
  • Julio Wojciechowski

  • Julio Eduardo Arce

  • Paulo Justiniano Ribeiro Jr.

  • Saulo Henrique Weber

  • Carlos Alberto da Fonseca Pires

DOI
  • DOI
  • 10.37885/211106796
    Publicado em

    28/12/2021

    Páginas

    210-228

    Capítulo

    14

    Resumo

    O presente estudo teve como objetivo verificar a dependência espacial e distribuição do volume por hectare em três fragmentos de Floresta Estacional Decidual, localizados ao nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. As áreas possuem idades pós intervenção de 30, 55 e 75 anos e encontram-se geograficamente separadas. Por meio da combinação dos parâmetros de modelos geoestatísticos, foi verificado as diferenças ou semelhanças dos volumes nas áreas. Os dados foram coletados em 56 unidades amostrais de 250 m2, distribuídas sistematicamente nas áreas em uma malha de 40 x 40 m, onde foram medidos os indivíduos com diâmetro a altura do peito (DAP) acima de 10 cm a partir do centro da unidade conforme metodologia descrita por Prodan. Para tanto, os dados foram submetidos a dois tipos de análise, sendo o primeiro um ajuste individual das áreas a título de comparação entre seus modelos e o segundo, um ajuste proposto pelo método combinado, ambos utilizando modelos geoestatísticos, com ajuste pela função da maximização do logaritmo da verossimilhança. O segundo método é proposto e investigado como alternativa para melhor explorar a informação contida nos dados, em geral escassos neste tipo de estudos para análises geoestatísticas. Foi utilizado como função de correlação o modelo exponencial da família Matèrn. Após o ajuste os modelos foram comparados pelo critério de informação de Akaike (AIC) e a relação do parâmetro alcance como indicação do grau de dependência espacial. Os resultados mostram que os modelos combinados foram superiores pois apresentaram menores valores de AIC além de um maior grau de dependência espacial em relação aos ajustes dos modelos para as áreas individuais. Indica-se a aplicação de modelos geoestatísticos de log-verossimilhança combinados em formações florestais fragmentadas para uma melhor análise e detecção da estrutura de correlação espacial do volume.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Geoestatística, Inventário florestal, Modelos mistos, Critério de Akaike.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar