INFÂNCIAS DESVALIDAS E ABANDONO NA CIDADE DA PARAHYBA DA NORTE A PARTIR DAS PÁGINAS DA REVISTA ERA NOVA (1921-1926)

Code: 231014734
Downloads
9
Views
17
Compartilhe
Título

INFÂNCIAS DESVALIDAS E ABANDONO NA CIDADE DA PARAHYBA DA NORTE A PARTIR DAS PÁGINAS DA REVISTA ERA NOVA (1921-1926)

Autores(as):
  • Marília Cristina De Queiroz

  • Joachin De Melo Azevedo Neto

DOI
  • DOI
  • 10.37885/231014734
    Publicado em

    30/03/2024

    Páginas

    35-57

    Capítulo

    2

    Resumo

    Encontramos no decorrer desta pesquisa sobre cultura e cidades, situada nas primeiras décadas do século XX, uma urbe da Parahyba do Norte (atual João Pessoa-PB) inserida no processo de urbanização e modernização nacional, passando por mudanças significativas para atender a concepção eugenista vigente de construção de uma “verdadeira civilização” e “pátria honrosa”. A revista Era Nova, comprometida com a visão das elites sociais locais, divulgou amplamente imagens de crianças brancas, bem nutridas e abastadas. E quanto as crianças pobres, negras e abandonadas? O debate público sobre a infância dos excluídos foi praticamente “esquecido” nas páginas da revista. Encontramos representações desses meninos e meninas socialmente marginalizados apenas nas publicações sobre instituições de abandono e caridade nas páginas do periódico em questão.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Primeira República, Infâncias, Exclusão social, Imprensa e cidade.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar