GESTÃO E SUSTENTABILIDADE EM EMPREENDIMENTO POPULAR NA COSTA DO SEMIÁRIDO POTIGUAR, BRASIL

Code: 200600497
4
5
Título

GESTÃO E SUSTENTABILIDADE EM EMPREENDIMENTO POPULAR NA COSTA DO SEMIÁRIDO POTIGUAR, BRASIL

Autores(as):
  • Ivanilson Souza Maia

    Souza Maia, Ivanilson

  • Walber Ferreira da Silva

    Ferreira da Silva,Walber

  • Jessé da Silva Carneiro

    Carneiro,Jessé da Silva

  • Emerson Q. M. Marques

    Marques,Emerson Q. M.

  • Natália Carla Fernandes de Medeiros DANTAS

    DANTAS,Natália Carla Fernandes de Medeiros

DOI
10.37885/200600497
Publicado em

31/07/2020

Páginas

63-74

Capítulo

8

Resumo

O exercício da maricultura apresenta relações complexas devido a apropriação dos recursos naturais e a transformação destes em valor monetário. A atividade produz impactos ambientais e socioeconômicos e por isso invoca o poder do estado para a mediação dos conflitos que ocorrem. Tal condição gera o cenário propício a utilização dos escopos social, ambiental, econômico e institucional para a mensuração de sua sustentabilidade. Com isso, o objetivo deste trabalho foi avaliar as experiências de gestão e sustentabilidade das maricultoras da Associação das Maricultoras de Macroalgas de Rio do Fogo (AMAR). Aplicou-se as metodologias participativas: painel de visualização e eleição de prioridades. Os indicadores foram estabelecidos utilizando um quantum que variou entre 0 a 1, onde o valor mais próximo de 1, significa a melhor condição de sustentabilidade. Identificou-se a transição de uma atividade extrativista para a maricultura. Em relação aos escopos, o melhor desempenho ocorreu no aspecto institucional, com grau de sustentabilidade excelente (0,930), no ambiental (0,678), na econômica (0,665) e social (0,660) classificaram como boa, o que levou o Índice de Sustentabilidade (0,733) ao grau de sustentabilidade boa. Observou-se sentimento de pertencimento em relação ao mar e aumento de consciência e percepção ambiental, pois as maricultoras passaram a exigir uma pauta ambiental entre os pescadores; porque elas entendem a importância do cultivo como local para reprodução, desova e abrigo para diversas espécies. Os pontos de gestão da associação são as medidas mais urgente a serem tomadas; a redução no conflito dentro do grupo e fora dele entre as maricultoras e a sociedade e o crescimento delas quanto a maturidade organizacional e sobre as questões de gênero. As mulheres enxergaram avanços no processo produtivo, demonstrando a relevância da associação junto à comunidade de Rio do Fogo e as perspectivas futuras para a atividade e a valorização enquanto pessoa humana.

Palavras-chave

Maricultura; Metodologias Participativas; Desenvolvimento Local.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.