EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS GENÉTICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DE FITOTERÁPICOS

Code: 230813917
5
0
Título

EXPLORAÇÃO DOS RECURSOS GENÉTICOS EMPREGADOS NA PRODUÇÃO DE FITOTERÁPICOS

Autores(as):
  • James Lima Chaves

    CHAVES, J.L.

  • Alexandre Boleira Lopo

    LOPO, A.B.

  • Jacqueline Araújo Castro

    CASTRO, J. A.

DOI
10.37885/230813917
Publicado em

30/10/2023

Páginas

99-113

Capítulo

7

Resumo

Este trabalho objetivou analisar, quais as espécies vegetais empregadas com maior freqüência na produção de medicamentos fitoterápicos comercializados no município de Amargosa-BA, bem como traçar um perfil exploratório das plantas medicinais utilizadas na produção destes fitoterápicos. Listou-se 48 espécies utilizadas pela indústria farmacêutica em 34 fitoterápicos, este número é pequeno, tendo em vista a grande biodiversidade que o país detém. As espécies listadas pertencem a 33 famílias botânicas, Leguminoseae é de maior representatividade, compondo 18,18% do total, seguida da Fabaceae com 9,09%, outras famílias foram mencionadas em menores proporções. Dentre as espécies botânicas utilizadas, as mais representativas foram: Crataegus oxyacantha L. fazendo parte da composição de 05 produtos, Passiflora alata, de 04, Aesculus hippocastanum L. de 04, Passiflora incarnata L. de 03, Ginkgo biloba L. de 03, Hedera helix L. de 03, Salix alba L. de 03 e Erythrina mulungu, Martius de 03, outros binômios foram mencionados em menores proporções. Apesar da rica biodiversidade vegetal brasileira, a maioria das espécies utilizadas na produção dos fitoterápicos analisados é exótica (74,47%), isso indica a necessidade do desenvolvimento de estudos direcionados a conhecer o potencial medicamentoso dos compostos secundários das espécies nativas. As partes vegetais mais frequentemente utilizadas, em ordem decrescente foram: folhas, raízes, cascas, sementes e frutos. Os dados apresentados neste trabalho alertam a necessidade de estudos direcionados ao estabelecimento de um plano de conservação ex situ e in situ, principalmente das espécies nativas, bem como o desenvolvimento de tecnologias de cultivo daquelas que são extraídas indiscriminadamente de seus hábitats naturais.

Palavras-chave

Germoplasma, plantas medicinais, conservação genética.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.