ESTUDO MORFOLÓGICO E ANATÔMICO DE GALHAS FOLIARES INDUZIDAS POR CECIDOMYIIDAE EM ESPÉCIES DA RESTINGA DE MARICÁ – RJ

Code: 210805620
Downloads
30
Views
39
Compartilhe
Título

ESTUDO MORFOLÓGICO E ANATÔMICO DE GALHAS FOLIARES INDUZIDAS POR CECIDOMYIIDAE EM ESPÉCIES DA RESTINGA DE MARICÁ – RJ

Autores(as):
  • Ana Cláudia de Macêdo Vieira

  • Adriana da Cruz Presler Cravo

  • Giselle Klabund Ferraris

  • Ana Paula Ribeiro de Carvalho Ferreira

  • Mariana Aparecida de Almeida Souza

  • Tatiana Ungaretti Paleo Konno

  • Naiara Viana Campos

  • André Luis de Alcantara Guimarães

  • Quemuel Machado Perozi Xavier

  • Marco Antonio da Silva Vieira

DOI
  • DOI
  • 10.37885/210805620
    Publicado em

    01/10/2021

    Páginas

    113-128

    Capítulo

    8

    Resumo

    Galhas formam-se em diferentes órgãos vegetais pela ação de organismos indutores, originando uma estrutura atípica à planta não afetada. Os indutores podem ser de diferentes origens, e os Cecidomyiidae constituem um grupo altamente especializado. Em restingas, diversas famílias botânicas estão associadas à formação de galhas e, no presente estudo, analisamos os dados referentes à morfologia e estrutura anatômica de galhas foliares induzidas por Cecidomyiidae em Eugenia astringens e Neomitranthes obscura (Myrtaceae), Couepia ovalifolia. (Chrysobalanaceae) e Ouratea cuspidata (Ochnaceae). As observações e coletas em campo foram realizadas em populações das espécies na restinga de Maricá - RJ afetadas por galhas induzidas por cecidomídeos. Os materiais empregados para estudo anatômico foram fixados em glutaraldeído com tampão fosfato e processados com técnicas básicas de microtomia com cortes a mão livre e infiltração em parafina e coloração com azul de astra e safranina. Os resultados demonstram em O. cuspidata, apenas um morfotipo de galha induzido por uma espécie de cecidomídeo, enquanto em E. astringens, N. obscura e C. ovalifolia foram observados dois morfotipos em cada espécie induzidos por galhadores distintos. As estruturas anatômicas das folhas estudadas são bastante variáveis, assim como a estrutura de cada morfotipo das galhas. No entanto, todas as galhas apresentam câmara larval revestida por tecido nutritivo. A despeito das características distintas de cada espécie e de cada morfotipo de galha, foi possível observar a neoformação tecidual que acarreta diferenças marcantes com relação aos tecidos não afetados. Cada morfotipo de galha reflete as adaptações da espécie hospedeira ao seu indutor.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Galhas, Restinga, Myrtaceae, Chrysobalanaceae, Ochnaceae.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar