ESTUDO FITOQUÍMICO, TOXICIDADE EM ARTEMIA SALINA ARTEMIA SALINA (LINNAEUS, 1758) E ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE PSEUDOXANDRA CUSPIDATA MAAS.

Code: 210303482
21
8
Título

ESTUDO FITOQUÍMICO, TOXICIDADE EM ARTEMIA SALINA ARTEMIA SALINA (LINNAEUS, 1758) E ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE PSEUDOXANDRA CUSPIDATA MAAS.

Autores(as):
  • Mirian Andrade de Oliveira

    Oliveira, Mirian Andrade de

  • Patrick de Castro Cantuária

    Cantuária, Patrick de Castro

  • Elizabeth Viana Moraes da Costa

    Costa, Elizabeth Viana Moraes da

  • Ana Luzia Ferreira Farias

    Farias, Ana Luzia Ferreira

  • José Policarpo Miranda Júnior

    Miranda Júnior, José Policarpo

  • Líbio José Tapajós Mota

    Mota, Líbio José Tapajós

  • Antônio Carlos Freitas Souza

    Souza, Antônio Carlos Freitas

  • Pablo de Castro Cantuária

    Cantuária, Pablo de Castro

  • Juliana Eveline dos Santos Farias

    Farias, Juliana Eveline dos Santos

  • Sheylla Susan Moreira da Silva de Almeida

    Almeida, Sheylla Susan Moreira da Silva de

DOI
10.37885/210303482
Publicado em

27/05/2021

Páginas

153-165

Capítulo

12

Resumo

A Pseudoxandra cuspidata Maas (1986) (Annonaceae Juss.), conhecida como Lamuci, é uma árvore de médio porte. Esta planta é empregada no Amapá para o tratamento de micoses superficiais e na Guiana Francesa é utilizada como antimalárico. O presente trabalho avaliou o perfil fitoquímico de P. cuspidata Maas (1986), sua toxicidade (ensaio de letalidade com Artemia salina Linnaeus (1758) e a atividade antibiótica do extrato pelo método de Kirby-Bauer modificado. Os resultados demonstraram que o extrato bruto etanólico apresenta média toxicidade (CL50= 605, 92 μg/mL), além de ter a presença de alcaloides, compostos fenólicos e ácidos orgânicos, sendo o primeiro o possível responsável por essa toxicidade e o último sendo responsável pela provável atividade antifúngica; porém no teste antibacteriano não houve inibição frente às cepas de Staphylococcus aureus Rosenbach (1884), Klebsiella pneumoniae Schroeter (1886) Trevisan (1887) e Escherichia coli Migula (1895) Castellani & Chalmers (1919), nas concentrações testadas.

Palavras-chave

Pseudoxandra cuspidata, Produtos Naturais, Estudo Fitoquímico, Alcaloides.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.