ESTUDO DE CASO: UM PROJETO DE EXTENSÃO SOBRE AS PERSPECTIVAS DA CRIAÇÃO DE ABELHAS INDÍGENAS SEM FERRÃO EM COMUNIDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE GRAJAÚ – MARANHÃO

Code: 230813956
Downloads
10
Views
24
Compartilhe
Título

ESTUDO DE CASO: UM PROJETO DE EXTENSÃO SOBRE AS PERSPECTIVAS DA CRIAÇÃO DE ABELHAS INDÍGENAS SEM FERRÃO EM COMUNIDADES RURAIS NO MUNICÍPIO DE GRAJAÚ – MARANHÃO

Autores(as):
  • Weverton Filgueira Pacheco

  • Thais Valéria Souza Silva Pacheco

  • Florisval Protásio Da Silva Filho

  • Josilda Cavalcante Amorim Damasceno

  • Gabriela Luz Pereira Moreira

  • Eduardo De Souza Moreira Moreira

  • Reysi Jhayne Pegorini

  • Alana Kelly Vitor Dantas

DOI
  • DOI
  • 10.37885/230813956
    Publicado em

    31/08/2023

    Páginas

    103-119

    Capítulo

    6

    Resumo

    No município de Grajaú (MA) não é muito difundida a criação de Abelhas sem ferrão, o mel colhido por meleiros de forma extrativista, sem qualidade e higiene adequada é o que se encontra no comercio na maioria das vezes. Esses indivíduos que residem em comunidades tradicionais rurais, denominados meleiros, vem executando o extrativismo apícola a muito tempo, basicamente para a obtenção de mel e cera sem nenhuma instrução sobre Meliponicultura. Estimular a produção apícola no município de Grajaú pode melhorar a qualidade dos produtos das abelhas comercializado na região e assim auxiliar na criação e diversificando de parcerias com grupos sociais, associações, cooperativas de produtores rurais agropecuários na região Centro Oeste do Estado do Maranhão. Um projeto de extensão voltado para o desenvolvimento da criação de abelhas sem ferrão pode contar com parcerias de entidades públicas de assistência técnica e extensão rural e mesmo entidades privadas para o desenvolvimento de tecnologias para o criatório racional de abelhas sem ferrão. Daí a necessidade de um projeto tão abrangente que procure estimular o desenvolvimento da criação racional de abelhas sem ferrão em comunidades tradicionais rurais do município de Grajaú. O projeto contou com duas etapas, em um primeiro momento houve o treinamento de toda a equipe sobre a criação racional de abelhas indígenas sem ferrão para formação de agentes multiplicadores da tecnologia social, produção de ninhos-iscas para distribuição pelas comunidades rurais e construção de um Meliponário para servir de suporte aos treinamentos práticos. Em um segundo momento foram realizadas visitas a três comunidades rurais do município, Boa Vista, Alto Brasil e Remanso, para a disseminação de conhecimento e treinamentos sobre a Meliponicultura para população daquelas comunidades. Os principais resultados obtidos foram a introdução da ciência da criação racional de abelhas sem ferrão para estudantes, profissionais de ciências agrárias, instituições públicas e produtores rurais do Município de Grajaú, o estímulo a produção apícola por meio de exploração racional desses recursos naturais, diversificando a exploração agropecuária da região com uma alternativa e fonte de renda de pequenos e médios agricultores familiares, o ensino a captura de enxames nativos de abelhas sem ferrão instalados em área urbana ou rural que ofereçam conhecimento e possibilidades de renda para a população. Por meio de acompanhamento de curso das turmas de técnicos, estudantes e produtores rurais, solucionando dúvidas sobre a criação racional de abelhas sem ferrão, produzir e disseminar tecnologias e resolvendo problemas de continuidade de projetos apícolas.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Abelhas, Abelhas nativas, Meliponiultura, Meliponas, Trigonas.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar