ESCRE(VIVÊNCIA) ORIGINÁRIA: UMA PROPOSTA DE DESCOLONIZAÇÃO DO ENSINO DE HISTÓRIA

Code: 210404092
Downloads
25
Views
20
Compartilhe
Título

ESCRE(VIVÊNCIA) ORIGINÁRIA: UMA PROPOSTA DE DESCOLONIZAÇÃO DO ENSINO DE HISTÓRIA

Autores(as):
  • Isabella Nunes Mello

  • Helena Azevedo PAULO DE ALMEIDA

DOI
  • DOI
  • 10.37885/210404092
    Publicado em

    03/05/2021

    Páginas

    40-58

    Capítulo

    3

    Resumo

    O presente trabalho pretende apresentar um esboço sobre as problemáticas da história dos povos originários no campo historiografia, tal como no imaginário social, onde a narrativa é esboçada pelo pensamento ocidentalizado, contendo equívocos, estereótipos, silenciamentos e segregações sobre quem são os povos originários do Brasil, no passado e no presente. Levantamos a pauta de inserir nos campos de conhecimento uma narrativa protagonizada pelos próprios sujeitos originários, no âmbito da escrita e no universo das redes. Inserimos no campo da poética com as autoras Graça Graúna e Aline Rochedo Pachamama. Na internet com radio Yande e a Editora Pachamama. E por fim no campo literal trazendo o autor e ambientalista Ailton Krenak.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Ensino de História, Povos Originários, Epistemologias, Internet, Indígenas.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar