ENGENHARIA DE EMPREENDIMENTOS ESPORTIVOS E A EVOLUÇÃO DA TAXA DE OCUPAÇÃO DAS ARENAS CONSTRUÍDAS NO BRASIL PARA A COPA DO MUNDO (2014-2020)

Code: 201102332
Downloads
7
Views
24
Compartilhe
Título

ENGENHARIA DE EMPREENDIMENTOS ESPORTIVOS E A EVOLUÇÃO DA TAXA DE OCUPAÇÃO DAS ARENAS CONSTRUÍDAS NO BRASIL PARA A COPA DO MUNDO (2014-2020)

Autores(as):
  • Marco Antonio Campos

  • André Munhoz de Argollo Ferrão

DOI
  • DOI
  • 10.37885/201102332
    Publicado em

    14/01/2021

    Páginas

    168-191

    Capítulo

    13

    Resumo

    Realizada no Brasil no ano de 2014 a Copa do Mundo da FIFA reuniu, na época, as 32 melhores seleções nacionais de futebol e foi um torneio aguardado com muita empolgação por todos os amantes do esporte mais popular do planeta e em especial pelos brasileiros. Para tanto o Brasil precisou oferecer uma estrutura de estádios em atendimento as normas da FIFA. Com isso foi necessária a construção ou reforma de 12 estádios para abrigar todos as partidas do evento. Antes mesmo de finalizada a Copa do Mundo da FIFA 2014 parte considerável da população brasileira passou a questionar estes investimentos em estádios e o atraso em obras complementares anunciados pelo governo federal como contrapartida para a realização do evento. Mesmo assim, o Mundial foi um sucesso de público com todas as partidas com ingressos esgotados. Passada esta empolgação com o torneio observou-se logo em seguida que os estádios passaram a ter uma taxa de ocupação muito inferior a capacidade dimensionada. Embasando esta constatação foram analisados, logo após o término da Copa do Mundo da FIFA, os públicos nestas arenas durante o Campeonato Brasileiro de Futebol da Série A, torneio mais prestigiado do país. Através deste levantamento pode-se afirmar que a princípio a empolgação dos brasileiros com o mundial poderia resultar em anos de casa cheia, jargão futebolístico para estádios com capacidade máxima de público, pagando apenas com a bilheteria das partidas o investimento bilionário das arenas. Entretanto, este fato de casa cheia não foi até hoje concretizado, apesar da constatação, logo após o término do evento, que as taxas de ocupação destas arenas estavam inferiores ao projetado, além de uma subutilização de determinados estádios. Poucas ações mostraram-se eficazes para reverter estes fatos estando estas arenas acumulando prejuízos e inadimplência ano após ano sem até o momento chegar uma conclusão efetiva de que todo o aporte financeiro para a realização da Copa do Mundo da FIFA no Brasil em 2014 foi necessário e válido para o bem geral da sociedade.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Estádios de futebol, Copa do Mundo FIFA, Gestão de empreendimentos, Arenas esportivas, Empreendimento esportivo.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar