ENCEFALITE EQUINA DO LESTE: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DOS ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E CLÍNICOS DA DOENÇA

Code: 231014695
38
0
Título

ENCEFALITE EQUINA DO LESTE: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DOS ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS E CLÍNICOS DA DOENÇA

Autores(as):
  • João Matheus Pereira Falcão Nunes

    Nunes, João Matheus Pereira Falcão

  • Catarina De Jesus Nunes

    Nunes, Catarina de Jesus

  • Giovana Da Silva Batista

    Batista, Giovana da Silva

  • Monique Marques De Souza

    Souza, Monique Marques de

  • Silvia Evangelista Santos

    Santos, Silvia Evangelista

  • Lárica Paraguassu Moreira Da Silveira

    Silveira, Lárica Paraguassu Moreira da

  • Maria De Lourdes Xavier De Souza

    Souza , Maria de Lourdes Xavier de

  • Amanda Vitória Santos Do Rosário

    Rosário, Amanda Vitória Santos do

  • Fernanda Paloma Duarte Trierweiler

    Trierweiler, Fernanda Paloma Duarte

  • Letícia Santana De Jesus

    Jesus, Letícia Santana de

DOI
10.37885/231014695
Publicado em

30/12/2023

Páginas

114-125

Capítulo

6

Publicado no livro

OPEN SCIENCE RESEARCH XIII

Resumo

Introdução: A Encefalite Equina do Leste (EEL) foi diagnosticada inicialmente em Massachusetts, em 1931, nos Estados Unidos da América, descrita como uma arbovirose de alta letalidade e fácil contágio. A doença recebeu esse nome devido ao local na região norte americana que surgiu e sua condição patológica, bem como seu hospedeiro inicial, os equinos, principal alvo do Alphavirus, causador da infecção. Objetivo: Tem-se por objetivo do trabalho avaliar os diversos aspectos em torno da EEL, como epidemiologia, abordagem clínica, diagnóstico e tratamento. Metodologia: A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica sistemática, tem como base de dados o SciElo, PubMed, LILACS, Google Acadêmico e Livros publicados entre os anos de 1937 até 2020, foram selecionados os artigos e livros que apresentaram os seguintes critérios de inclusão: Estudo acerca da Saúde Pública, Zoonose, Medicina tropical e EEQ, tendo correlação com o tema intitulado. Discussão: A EEL é uma doença complexa, desde seu agente etiológico, que tem alta taxa de mutação, e pode evoluir-se biologicamente, como também em relação ao seu ciclo e vetores participantes na transmissão e proliferação com sintomas que evoluem rapidamente para cefaleia intensa, rigidez em toda região posterior da cabeça ou apenas na nuca, crises eméticas e diarreicas, irritabilidade e edema facial, periorbital ou generalizado. Conclusão: O diagnóstico e prevenção são ideias para melhor prognóstico do paciente, visto que, atualmente não há tratamento farmacológico para a Encefalite Equina do Leste, pois não há evidências comprovadas da eficácia de medicamentos antivirais frente à doença.

Palavras-chave

Encefalite Equina do Leste, Saúde Coletiva, Zoonoses.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.