CONSUMO DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS POR INDIVÍDUOS HIPERTENSOS INDICA MAIOR RISCO RELACIONADO À DOENÇAS CRÔNICAS

Code: 220408706
Downloads
26
Views
27
Compartilhe
Título

CONSUMO DE ALIMENTOS ULTRAPROCESSADOS POR INDIVÍDUOS HIPERTENSOS INDICA MAIOR RISCO RELACIONADO À DOENÇAS CRÔNICAS

Autores(as):
  • Thiago Balbi Seixas

  • Thayzis de Paula Silva

  • Angélica Ribeiro e Silva

  • Maíra Macário de Assis

  • Renato Moreira Nunes

  • Larissa Loures Mendes

  • Aline Silva de Aguiar

DOI
  • DOI
  • 10.37885/220408706
    Publicado em

    31/05/2022

    Páginas

    51-67

    Capítulo

    4

    Resumo

    Objetivo: avaliar o consumo de alimentos ultraprocessados (AUP) e sua relação com perfil antropométrico, bioquímico e clínico. Metodologia: Trata-se de um estudo transversal, com 191 adultos hipertensos, de ambos os sexos, atendidos no Hospital Universitário de Juiz de Fora/MG. Aplicou-se dois recordatórios de 24 horas e questionário sociodemográfico. Para avaliação antropométrica, foram aferidos peso, altura, circunferências da cintura, abdominal, quadril e pescoço. A amostra foi dividida em Grupo 1: menor consumo de AUP; Grupo 2: maior consumo de AUP. Para as análises estatísticas, utilizou-se o Teste qui-quadrado de Pearson para testar diferença de frequência das variáveis categóricas; os testes t Student e Mann Whitney para as variáveis quantitativas; e para avaliar a associação entre variáveis independentes e o consumo de AUP no terceiro tercil empregou-se a técnica de regressão logística multivariada passo a passo, sendo o teste de Hosmer-Lemeshow utilizado para verificar o ajuste final do modelo. Resultado: Observou-se consumo de sódio acima de 2000mg/dia para ambos os grupos, com maior proporção de inadequação para o grupo 2 (87,3%) em relação ao grupo 1 (67,97%) (p<0,005). Verificou-se para o grupo 1 maior densidade de potássio (1,29) em relação ao grupo de maior consumo de ultraprocessados (1,03) (p<0,01). O grupo 2 apresentou maior consumo para a maioria dos nutrientes, exceto para fibras totais (p=0,10) e vitamina C (p=0,054). Houve associação inversa do consumo de AUP com proteínas totais (p<0,05) e associação direta com lipídios totais (p=0,02) e calorias totais (p<0,05). Quanto às características bioquímicas, antropométricas e clínicas não se observou diferenças significativas entre os grupos. Entretanto, uma vez que o grupo 2 apresenta maior consumo de sódio e menor densidade de potássio, esse resultado sugere um maior risco para a saúde.

    Ler mais...
    Palavras-chave

    Alimentos industrializados, Consumo alimentar, Hipertensão, Adultos.

    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar