CONSIDERAÇÕES SOBRE CASTRAÇÃO DE SUÍNOS MACHOS

Code: 210203143
95
20
Título

CONSIDERAÇÕES SOBRE CASTRAÇÃO DE SUÍNOS MACHOS

Autores(as):
  • Thaíná Pizane da Silva

    Silva, Thaíná Pizane da

  • Mayara da Silva Trentim

    Trentim, Mayara da Silva

  • André Felipe da Silva

    Silva, André Felipe da

  • Luiz Sérgio Merlini

    MerlinI, Luiz Sérgio

  • Rita De Cássia Lima Ribeiro

    Ribeiro, Rita de Cássia Lima

  • Luciana Kazue Otutumi

    Otutumi, Luciana Kazue

  • Pollyana Linhares Sala

    Sala, Pollyana Linhares

  • Thaís Camaso de Sá

    Sá, Thaís Camaso de

  • Ana Maria Quessada

    Quessada, Ana Maria

DOI
10.37885/210203143
Publicado em

02/04/2021

Páginas

140-153

Capítulo

9

Resumo

Os suínos são a segunda proteína animal mais consumida do mundo, sendo que o Brasil é o quarto produtor mundial deste tipo de carne. Uma das técnicas utilizadas para melhorar a palatabilidade e a aceitação pelo consumidor da carne suína é a castração de machos. Além de melhorar o sabor e palatabilidade da carne, a castração em suínos machos também é realizada para facilitar o manejo. Diante do exposto, o objetivo desta revisão é discorrer sobre as principais técnicas utilizadas para castrar suínos machos. Para isso, foi realizada uma busca em sites acadêmicos com palavras chave que versam sobre o tema. Após a análise dos textos, observou-se que, no Brasil, a castração de machos suínos é realizada principalmente por métodos cirúrgicos (orquiectomia), geralmente aos sete dias de vida do animal e é praticada sem anestesia. Dessa forma, a orquiectomia em suínos, da maneira que é realizada, fere os princípios de bem-estar animal. No entanto, para praticar essa técnica com bem-estar e segurança, o custo é alto para o pequeno produtor, que é maioria no Brasil. Uma das alternativas à castração cirúrgica de suínos machos e que atende às normas de bem-estar animal é a imunocastração. Apesar de apresentar muitas vantagens, a imunocastração também é um procedimento oneroso. Na suinocultura brasileira, produzir de forma economicamente eficiente passou a ser pré-requisito para a sobrevivência no setor. Nesse contexto, a castração química é uma alternativa promissora. Tal técnica é um processo no qual substâncias químicas produzem lesão definitiva no aparelho reprodutor masculino. Este método é considerado irreversível e possibilita redução nos níveis de dor e maior velocidade de recuperação quando comparados aos procedimentos tradicionais. Em suínos, o gluconato de zinco, associado ao DMSO, apresentou bons resultados em castração química, mas outras substâncias utilizadas em outras espécies têm potencial para serem empregadas em suínos, não sendo ainda estudadas nesta espécie. Novos estudos são necessários sobre o tema, o que pode ampliar as opções para os produtores suinícolas.

Palavras-chave

Bem-estar animal, castração química, imunocastração, orquiectomia, suinocultura.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.