ALBERT CAMUS: UMA JORNADA FILOSÓFICA ALÉM DO ABSURDO

Code: 231215259
7
0
Título

ALBERT CAMUS: UMA JORNADA FILOSÓFICA ALÉM DO ABSURDO

Autores(as):
  • Antônio Carlos Araújo

    Araújo, Antônio Carlos

  • Sebastiana Luciana Ferreira Araújo

    Araújo, Sebastiana Luciana Ferreira

DOI
10.37885/231215259
Publicado em

04/01/2024

Páginas

68-75

Capítulo

6

Resumo

Nesta exploração da vida e obra de Albert Camus, adentramos em suas influências filosóficas, onde os ecos de Nietzsche e Schopenhauer se entrelaçam na construção de seu pensamento. Camus, o filósofo existencialista e escritor, bebeu profundamente da fonte da vontade schopenhaueriana e do niilismo provocativo de Nietzsche. Em suas reflexões sobre o absurdo da existência, Camus incorporou a perspectiva de Schopenhauer sobre a vontade incessante e a visão niilista de Nietzsche sobre o eterno retorno. Este diálogo entre as ideias desses mestres da filosofia gerou uma sinfonia única nas obras de Camus, destacando-se especialmente em "O Estrangeiro" e "O Mito de Sísifo". A revolta camusiana contra o absurdo da vida reflete a fusão dessas influências, onde a busca por significado se torna uma jornada pessoal, repleta de nuances existenciais. Assim, neste encontro filosófico, testemunhamos não apenas a trajetória do pensamento de Camus, mas a humanidade dessas influências, entrelaçadas de maneira íntima na construção do seu legado literário e filosófico.

Palavras-chave

Albert Camus, Schopenhauer, Nietzsche, Existencialismo, Rebelião, Absurdo.

Autor(a) Correspondente
Licença

Este capítulo está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

O conteúdo do capítulo e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.