MADEIRAS NATIVAS E PLANTADAS DO BRASIL: QUALIDADE, PESQUISAS E ATUALIDADES

Code: 114-144
Downloads
396
Views
1508
Compartilhe
Título

MADEIRAS NATIVAS E PLANTADAS DO BRASIL: QUALIDADE, PESQUISAS E ATUALIDADES

ISBN

978-65-89826-38-5

DOI
  • DOI
  • 10.37885/978-65-89826-38-5
    Publicado em

    01/07/2021

    Páginas Capítulos Volume Edição

    606

    37

    1

    1

    Organizador(a):
    • WESCLEY VIANA VANGELISTA

      WESCLEY VIANA VANGELISTA

    Apresentação

    Esta obra constitui-se de uma coletânea de trabalhos científicos desenvolvidos por pesquisadores de Universidades, Institutos e Centros de Pesquisa, com a temática sobre madeiras de florestas nativas ou de plantios florestais do Brasil, de forma a apresentar o resultado de pesquisas sobre suas propriedades tecnológicas, avaliação da qualidade visando adequação a usos industriais e atualidades sobre essa importante matéria-prima de origem florestal. A madeira é um material versátil, heterogêneo, anisotrópico, higroscópico, combustível, renovável, que tem beleza estética e que pode ser obtida comercialmente de plantios comerciais, consórcios agrossivilculturais e florestas naturais, do qual se pode obter produtos diversos. A madeira pode ser usada diretamente na sua forma sólida, roliça ou serrada, ou servir como matéria-prima para fabricação de novos produtos. Do ponto de vista econômico e de produção, a madeira é o principal produto florestal extraído das florestas naturais e plantios florestais. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/74/pevs_2019_v34_informativo.pdf), no ano de 2019, o Brasil registrou uma produção florestal de R$ 20,0 bilhões, sendo que 90% deste valor correspondia a produtos madeireiros. Embora o País tenha uma grande área de florestas nativas, a segunda maior do mundo, com 488 milhões de hectares registrados no ano de 2018 (cerca de 57% do território nacional nesse período), o setor de plantios florestais é o que se obtém a maior geração de renda e produção volumétrica de madeira. Desde o ano de 2000 que esse cenário é observado no Brasil para a produção madeireira, mesmo o País tendo uma área muito pequena de plantios de árvores em relação à área do território nacional. Em 2018, o IBGE registrou uma área de plantios florestais próximo a 10 milhões de hectares, que corresponde a pouco mais de 1% do território brasileiro. Esses plantios eram formados principalmente por Eucalyptus spp. e Pinus spp., embora se tenha o registro de plantios de outras espécies, como teca (Tectona grandis L.), acácia (Acacia spp.), paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke), dentre outras. Contudo, o plantio de espécies florestais nativas deve ser incentivado, de forma a ampliar as opções de espécies produtoras de madeiras no mercado nacional. O uso de madeiras oriundas de florestas nativas também pode ser feito, mas sempre quando oriundo de planos de manejo florestal sustentável devidamente aprovados, extraídas de árvores permitidas e devidamente planejadas para corte e em atendimento as leis ambientais vigentes. Tudo isso faz com que o mercado madeireiro do Brasil seja diversificado em oferta de madeiras, sendo que para muitas espécies esta oferta encontra-se mais regionalizada em determinadas regiões geográficas do País. A madeira possui propriedades tecnológicas únicas, quando comparadas a outros materiais, e também variáveis entre espécies, entre indivíduos de uma mesma espécie, dentro do tronco de uma árvore e até dentro de uma mesma peça de madeira. Isso faz com que as madeiras sejam continuamente estudadas, de forma que suas propriedades sejam conhecidas e que as melhores matrizes possam ser usadas em programas de melhoramento genético florestal para produção de plantios produtores de madeira de alta qualidade, para as mais diversas finalidades. Nesse cenário tem-se como exemplo de sucesso a produção de celulose kraft de Eucalyptus spp., que possui alta qualidade tecnológica, sendo um dos produtos mais exportados pelo Brasil no ano de 2020, além de ser o produto que mais consome madeira plantada no País. Além da produção de celulose, a madeira é também usada como matéria-prima para muitos outros usos importantes, como na produção de carvão vegetal, painéis reconstituídos, lenha, construções, móveis, produtos de madeira tratada etc. As pesquisas científicas, além de avaliar as propriedades tecnológicas das madeiras e sua qualidade visando adequação a usos, são também direcionadas para muitas outras linhas de pesquisas, como na determinação das suas propriedades através de técnicas não destrutivas; projetos construtivos e estruturais; química da madeira; uso da madeira como matéria-prima na produção de bioprodutos e nanocompósitos; tecnologia de produção de celulose, papel, produtos energéticos, painéis reconstituídos, móveis, adesivos para madeiras etc.; aproveitamento de resíduos madeireiros; dentre outras. Essa obra reúne trabalhos desenvolvidos por Pesquisadores de diversas Universidades, Institutos e Centros de Pesquisa sobre madeiras nativas e plantadas do Brasil, de forma a contribuir com a literatura e com o setor florestal com informações mais atuais sobre essa importante matéria-prima, o qual contribui de forma significativa com a economia do País, gerando renda e empregos. Agradeço a todos os Autores que contribuíram para que essa obra pudesse ser concretizada. Desejo que os trabalhos aqui publicados se tornem fonte de dados, informações e de conhecimento para estudantes, professores, profissionais e demais interessados no assunto, bem como material de suporte e referencial bibliográfico para pesquisas científicas futuras. A todos os Autores, meus sinceros agradecimentos, votos de muitas conquistas profissionais e que continuem publicando ainda mais trabalhos científicos sobre madeiras nativas e plantadas do Brasil. A todos os leitores, desejo uma ótima leitura!

    Ler mais...
    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    37 Capítulos

    Capítulo 1
    Capítulo 2
    Capítulo 3
    Capítulo 4
    Capítulo 5
    Capítulo 6
    Capítulo 7
    Capítulo 8
    Capítulo 9
    Capítulo 10
    Capítulo 11
    Capítulo 12

    PERMEABILIDADE DA MADEIRA DE EUCALYPTUS SPP.

    Ramon Ubirajara Teixeira, Angélica de Cássia Oliveira Carneiro, Paula Gabriella Surdi de Castro, Ana Márcia Macedo Ladeira Carvalho, Benedito Rocha Vital, Vinicius Resende de Castro, Renato Vinicius Oliveira Castro, Adriana de Fátima Gomes Gouvêa
  • DOI
  • Capítulo 13
    Capítulo 14
    Capítulo 15
    Capítulo 16
    Capítulo 17
    Capítulo 18
    Capítulo 19
    Capítulo 20
    Capítulo 21
    Capítulo 22
    Capítulo 23
    Capítulo 24
    Capítulo 25
    Capítulo 26
    Capítulo 27
    Capítulo 28
    Capítulo 29
    Capítulo 30
    Capítulo 31
    Capítulo 32
    Capítulo 33
    Capítulo 34
    Capítulo 35
    Capítulo 36
    Capítulo 37

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar