EDUCAÇÃO, GÊNERO E SEXUALIDADE: PERSPECTIVA CRÍTICA E DECOLONIAL NO ESPAÇO ESCOLAR E NÃO-ESCOLAR

Code: 122-157
Downloads
118
Views
407
Compartilhe
Título

EDUCAÇÃO, GÊNERO E SEXUALIDADE: PERSPECTIVA CRÍTICA E DECOLONIAL NO ESPAÇO ESCOLAR E NÃO-ESCOLAR

ISBN

978-65-89826-42-2

DOI
  • DOI
  • 10.37885/978-65-89826-42-2
    Publicado em

    30/06/2021

    Páginas Capítulos Volume Edição

    174

    11

    1

    1

    Organizador(a):
    • J. F. MOURA

      J. F. MOURA

    Apresentação

    Este livro trata das discussões envolvendo educação, gênero e sexualidade nos espaços educativos, visto que a interseção destas temáticas são produtos de construções históricas, sociais e culturais que necessitam ser discutidas e refletidas, tendo em vista a vastidão de normas e engessamentos que potencializam a naturalização das desigualdades de gênero e do preconceito acerca das dissidências sexuais, seja na formação da criança, do adolescente, do jovem ou do adulto. É uma obra que se constitui a partir de um processo colaborativo entre professores, estudantes e pesquisadores que se dedicam aos estudos e às pesquisas sobre a temática. Resulta, também, de movimentos interinstitucionais e de ações de incentivo à investigação que congregam pesquisadores de diferentes Instituições de Educação Superior públicas e privadas de abrangência nacional. O objetivo é problematizar e socializar conhecimentos e saberes sobre educação, gênero e sexualidade no espaço escolar e não-escolar, tangenciando perspectivas diversas, como a queer e a abordagem decolonial, interpelando a formação de professores, o currículo, o patriarcado e a divisão sexual do trabalho. No capítulo 1, Educação, currículo e desigualdade de gênero: um referencial teórico, de Lilian Rolim Figueiredo, Jádson Rudson Rodrigues Lemos, Mayra Silva dos Santos, Marcos Moreira Lira e Betânia Oliveira Barroso, o objetivo é refletir sobre algumas questões que envolvem o currículo e as desigualdades de gênero na escola. O capítulo 2 de Renato Sampaio de Azambuja e Nadia Geisa Silveira de Souza, que tem como título Apontamentos sobre o corpo e o cuidado de si, apresenta um debate sobre o cuidado gerado pela biomedicina com o corpo e sua relação com as dicussões de gênero e sexualidade. Em seguida, no capítulo 3, Algumas cenas escolares nas construções de gêneros e sexualidades: um relato de experiência, de Katiele Hundertmarck encontra-se uma narrativa de três cenas ocorridas em uma escola que possibilitam a discussão sobre como essa instituição atua na formação dos modelos hegemônicos de gêneros e sexualidades. O capítulo 4, Presença notada, ausência sentida: concepções de docentes homens na educação infantil, de Lívia Machado Oliveira, Jonas Alves da Silva Junior, Jónata Ferreira de Moura e Matheus Fortunato da Silva, analisa como se dá a construção social de docentes homens atuantes na Educação Infantil exercendo masculinidades periféricas, refletindo sobre como os atravessamentos sociais, relacionados à perspectiva dos estudos de gênero, influenciam nesse processo. No capítulo 5, A importância e os desafios da abordagem de estereótipos de gênero com alunos do ensino médio: um referencial teórico, de Geovanna Garcia Guimarães, Silvia Veida Alves Marins, Beatriz Alves de Aguiar e Fernanda Paulini, é possível compreender a forma como os estereótipos e a diversidade de gênero são abordados durante a educação de adolescentes, assim como a influência de mitos sexuais na construção desses conceitos. Em seguida, no capítulo 6, O PNLD e as representações de gênero, raça e classe em livros de história do Ensino Médio, de Inácio Ribeiro Oliveira e de Márcia Alves da Silva, encontra-se uma investigação realizada com livros didáticos de História do Ensino Médio que teve como objetivo identificar como as mulheres aparecem representadas, através da análise dos textos e das imagens dos materiais didáticos. O capítulo 7, Currículo pós-estruturalista e possíveis (des)construções queer: reflexões teóricas sobre gêneros e sexualidades, de John Jamerson da Silva Brito, Jónata Ferreira de Moura e Juliana Ferreira de Sousa, proporciona algumas inferências acerca do currículo pós-estruturalista e da teoria e pedagogia queer como importantes perspectivas que podem contribuir para as desconstruções de discursos (hetero)normativos sobre gêneros e sexualidades. No capítulo 8, Abordagens sobre o ambiente escolar, os papéis de gênero e a transgeneridade: um referencial teórico, de Rayane Silva Leal, Arthur Pinheiro Morbeck, Isabella Monteiro Gomes da Silva e Fernanda Paulini, discute-se modos de pensar e viver os diferentes gêneros e sexualidades, para que o “diferente” deixe de ser visto como “anormal”, apresentando temas como o queer e o contato com o voguing como potentes ferramentas de desconstrução dos padrões heteronormativos. Depois, no capítulo 9, Construindo práticas educativas para equidade de gênero e suas intersecções: formação continuada de professoras, as autoras Lilian Silva de Sales e de Franciane Mendonça de Souza asseveram que os debates sobre gênero e raça precisam atingir, não somente a prática pedagógica de professoras/es, mas também as diferentes naturezas de trabalho pedagógico, como gestão, supervisão e orientação escolar. No capítulo 10, Isolamento social e violência doméstica: apontamentos sobre os reflexos da covid-19 nas questões de gênero, de Vanusa Nascimento Sabino Neves e Fábio Gomes de França, há uma discussão sobre o aumento de casos de violência doméstica e familiar em tempos de pandemia da COVID-19. O capítulo 11, Proposta inicial de marco teórico para o feminismo decolonial indígena na EPT, de Claudionor Renato da Silva, trata do marco teórico Feminismo Decolonial Indígena (FDI) nas discussões sobre o currículo da Educação Profissional e Tecnológica brasileira, nos Institutos Federais, quando da existência do público de mulheres indígenas em seu entorno, para tratar de seu protagonismo de empowerment. Agradecemos aos/às autores/as pelo empenho, disponibilidade e dedicação para o desenvolvimento e conclusão dessa obra. Esperamos também que ela sirva de dispositivo didático-pedagógico para estudantes, professores dos diversos níveis de ensino em seus trabalhos e demais interessados pela temática.

    Ler mais...
    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    11 Capítulos

    Capítulo 1
    Capítulo 2
    Capítulo 4
    Capítulo 5
    Capítulo 6
    Capítulo 7
    Capítulo 8
    Capítulo 10

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar