AVALIAÇÃO HIDROAMBIENTAL DE NASCENTES NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO SÃO BARTOLOMEU, VIÇOSA - MG

Code: 47-64
Downloads
84
Views
230
Compartilhe
Título

AVALIAÇÃO HIDROAMBIENTAL DE NASCENTES NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIBEIRÃO SÃO BARTOLOMEU, VIÇOSA - MG

ISBN

978-65-87196-45-9

DOI
  • DOI
  • 10.37885/978-65-87196-45-9
    Publicado em

    06/02/2021

    Páginas Edição

    110

    1

    Autores(as)
    • Henrique César Bitencourt

      Henrique César Bitencourt

    • João Paulo Oliveira Freitas

      Freitas, João Paulo Oliveira

    • Rodolfo Alves Barbosa

      Barbosa, Rodolfo Alves

    • Sérgio Guedes Barbosa

      Barbosa, Sérgio Guedes

    • Kelly Cristina Tonello

      Tonello, Kelly Cristina

    • Lucas Jesus da Silveira

      Lucas Jesus da Silveira

    • Aline Gonçalves Spletozer

      Aline Gonçalves Spletozer

    • Herly Carlos Teixeira Dias

      Dias, Herly Carlos Teixeira

    Sinopse

    O município de Viçosa-MG passa, desde os últimos 4 anos, por uma crise na oferta de água ocasionada pelo regime anormal das chuvas. Esta crise é agravada pela degradação das microbacias inseridas na bacia hidrográfica do ribeirão São Bartolomeu, responsável por 30% do volume de água consumida no município. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi realizar uma avaliação hidroambiental de microbacias hidrográficas, consideradas como melhor unidade de trabalho para conservação dos recursos hídricos, a montante do ponto de captação realizado pelo SAAE, juntamente com a hierarquização de tais microbacias quanto à necessidade de intervenção. Além disso, foi intento elencar medidas para combater as fontes de degradação hidroambiental encontradas, de modo a mitigar os efeitos de crise hídrica no supracitado município. A metodologia utilizada foi modificada do trabalho de Farias (2012) e é formada por 5 parâmetros macroscópicos observados in loco que foram: uso do solo, estado do solo, estado da vegetação das APP’s, presença e acesso de animais nas APP’s ripárias e contaminação aparente da água. De acordo com a metodologia, que se mostrou consonante com o histórico de uso e ocupação do solo da região, do total de 46 microbacias avaliadas, 22 (47.83%) foram avaliadas como degradadas, 12 (26,09%) como muito perturbadas, 9 (19,57%) como perturbadas e apenas 3 (6,52%) como conservadas. Isso significa que uma parte considerável da bacia hidrográfica do ribeirão São Bartolomeu não está em condições adequadas para a produção de água em quantidade e qualidade ideais, onde as águas das chuvas recebidas por ela não se infiltram suficientemente e é rapidamente drenada para fora da bacia, assim não sendo possível sua utilização em tempos futuros.

    Ler mais...
    Licença

    Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

    Licença Creative Commons

    O conteúdo dos capítulos e seus dados e sua forma, correção e confiabilidade, são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(es). É permitido o download e compartilhamento desde que pela origem e no formato Acesso Livre (Open Access), com os créditos e citação atribuídos ao(s) respectivo(s) autor(es). Não é permitido: alteração de nenhuma forma, catalogação em plataformas de acesso restrito e utilização para fins comerciais. O(s) autor(es) mantêm os direitos autorais do texto.

    Este site utiliza cookies. Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Ao continuar você concorda com a nossa política de utilização de cookies.

    Continuar